Mococa, 21 de Setembro de 2017



São Paulo (SP): Metalúrgicos de Mococa contra desindustrialização

gritoalerta201201 São Paulo (SP): Metalúrgicos de Mococa contra desindustrialização
Ato que reuniu 100 mil pessoas contou com a presença do Sindicato dos Metalúrgicos de Mococa e Região

Todas as Centrais Sindicais, entidades empresariais e estudantes se reuniram ontem (4) no estacionamento da Assembleia Legislativa de São Paulo para cobrar do governo medidas para evitar a crescente desindustrialização no país, causada pela onda de importações. Segundo as lideranças, o país precisa de uma política industrial que impeça o crescente fechamento de postos de trabalho no Brasil, para isso querem redução dos juros (um dos maiores do mundo) e mudanças no câmbio para tornar o produto nacional competitivo. O governo já desonerou 11 setores da indústria nacional (composta por 127), o que para o presidente da Força Sindical, o deputado federal Paulo Pereira da Silva (Paulinho) é insuficiente para proteger a produção industrial nacional – “O plano não ataca o cerne do problema, que é a questão dos juros e do câmbio”.
gritoalerta201202 São Paulo (SP): Metalúrgicos de Mococa contra desindustrialização
Um ônibus partiu de Mococa com trabalhadores e diretores sindicais para apoiar a manifestação, o que para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Mococa e Região e vice-presidente da Federação dos Trabalhadores Metalúrgicos do Estado de São Paulo, Francisco Sales Gabriel Fernandes (Chico do Sindicato), “é uma mobilização de extrema importância. Temos a obrigação de apoiar nossas centrais nessa luta que é, antes de tudo, uma luta de todos os brasileiros.”
gritoalerta201203 São Paulo (SP): Metalúrgicos de Mococa contra desindustrialização
Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC), respectivamente nos dias 26 e 28 de março, já realizaram atos contra a desindustrialização como esse e no dia 13 de abril será a vez de Manaus (AM) e no dia 10 de maio, Brasília (DF). No Nordeste e em outros estados também estão sendo agendadas manifestações.

Comentários não permitidos.

Deixe um comentário