Mococa, 25 de Setembro de 2017



Metalúrgicos de Mococa participam de movimento em São Paulo pela recuperação da indústria nacional

coalizao00 Metalúrgicos de Mococa participam de movimento em São Paulo pela recuperação da indústria nacional
Representantes de diversos Sindicatos de Metalúrgicos filiados à Força Sindical, Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM) e à Federação dos Metalúrgicos do Estado de SP participaram nesta segunda-feira, 6 de abril, de ato pela recuperação da indústria de transformação. O evento foi realizado no Palácio de Convenções do Anhembi, em São Paulo.

O movimento “Coalizão Indústria – Trabalho para a Competitividade e o Desenvolvimento”, foi encabeçado pelas centrais Força Sindical, CGTB e UGT e por 42 entidades empresariais.

´Indústria destruída´. O documento cobra medidas para ajudar a indústria. “A competitividade da indústria de transformação nacional está sendo destruída”, dizem as entidades, que listam quatro eixos para o ataque: os juros elevados (e que continuam aumentando), o câmbio ainda valorizado, a carga tributária que também está em elevação pelo governo e a cumulatividade de impostos.

coalizao01 Metalúrgicos de Mococa participam de movimento em São Paulo pela recuperação da indústria nacional

Neste ponto, as empresas afirmam que “os tributos escondidos que incidem cumulativamente, por exemplo, sobre as cadeias da construção civil, automotiva e de máquinas e equipamentos, oneram adicionalmente os produtos nacionais entre 10% a 15%”. Além de pedir racionalidade da política monetária (de juros), os industriais querem desoneração de impostos. Ou seja, o oposto do que tem sido praticado pelo governo federal desde o início do ano.

Além do aumento de impostos sobre o crédito ao consumidor e sobre combustíveis anunciado em janeiro, o governo também anunciou na semana passada a elevação do tributo sobre o faturamento das empresas antes beneficiadas com a desoneração da folha de pagamentos. “A indústria de transformação tem a maior carga tributária entre todos os setores da economia, pois de tudo o que produz 45% viram impostos. A sociedade brasileira não aguenta mais aumento de imposto”, dizem as entidades.

Representando os metalúrgicos de Mococa e região estavam o vice-presidente do Sindicato Silvio Resende, Mário Rodrigues e Isaac Campos.
O ato foi encerrado com o lançamento de um documento que será entregue à presidente Dilma Rousseff, ao Congresso Nacional e aos ministérios da Fazenda e Planejamento, cobrando do governo medidas para o setor industrial.

coalizao02 Metalúrgicos de Mococa participam de movimento em São Paulo pela recuperação da indústria nacional

coalizao03 Metalúrgicos de Mococa participam de movimento em São Paulo pela recuperação da indústria nacional

coalizao04 Metalúrgicos de Mococa participam de movimento em São Paulo pela recuperação da indústria nacional

Deixe um comentário