Mococa, 17 de Outubro de 2021



Contra a fome, a pandemia e o desemprego

IMG 20200604 WA0026 540x361 Contra a fome, a pandemia e o desemprego

 

Os governos Temer e Bolsonaro conseguiram derrubar o PIB brasileiro (conjunto de todas as riquezas produzidas no País) e com suas deformas trabalhista e previdenciária, entre outras medidas ao gosto neoliberal, só prejudicaram as relações de trabalho, destruiram direitos e conquistas históricas da classe trabalhadora, reduziram a renda do povo e não geraram os empregos prometidos.

Temos hoje mais de 14 milhões de desempregados, outros milhões no trabalho precário e no desalento e, com a pandemia, que já “cancelou” a vida de mais de 400 mil brasileiros, a situação social piorou ainda mais.

Segundo matéria do jornalista Vitor Guzzi, da Rede Brasil Atual, “depois de recuar significativamente até meados da década passada, a fome voltou a crescer no Brasil e a chamada insegurança alimentar disparou nos dois últimos anos. São quase 117 milhões de pessoas nesta situação, sem acesso pleno e permanente a alimentos. Além deles, há ainda 19,1 milhões de brasileiros que efetivamente passam fome, em um quadro de insegurança alimentar grave”.

Embora cientes de que não é a solução definitiva para os problemas, devemos sim arregaçar as mangas, participar das campanhas de solidariedade, arrecadar alimentos e distribuí-los às pessoas mais necessitadas.

A sociedade precisa ter é uma participação política mais efetiva, consciente e humanitária para mudar os rumos políticos do País, elegendo parlamentares e governos progressistas, voltados ao social, com visão de nação e vontade política para fazer o Brasil retomar os trilhos do desenvolvimento: com empregos decentes, salários dignos, direitos preservados e ampliados, inclusão e justiça social, sem fome, sem pobreza e sem miséria.

Para marcar a passagem do 1º de Maio de 2021, devemos ter em mente estas reflexões e avançar as lutas, que o nosso movimento sindical tem apresentado diariamente ao País, exigindo também vacinas para todos contra a covid-19, rapidez na vacinação, valorização do SUS e dos profissionais da saúde e Auxílio Emergencial de 600 reais mensais para quem precisa até o fim da pandemia.

Viva a classe trabalhadora! Viva o 1º de Maio pela Vida! Vida o Dia Internacional do Trabalhador!

Francisco Sales Gabriel Fernandes, o Chico
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Mococa e região e vice-presidente da Federação dos Metalúrgicos do Estado de SP

 

Deixe um comentário